9 de março de 2010

Indivíduo apaixona-se por voice mail de telemóvel de rapariga que nunca lhe atendia o telefone

Um indivíduo, natural de Avis (Portalegre), pediu esta semana em casamento um voice mail de um telemóvel 91. O homem, de 40 anos, sentia-se emocionalmente ligado ao gravador de mensagens porque este permitiu momentos de partilha de sentimentos de tristeza, de solidão e de rejeição. “Este gravador de mensagens não tem o distanciamento tão habitual de outros voice mail. Tratava-me por tu, era da rede Yorn. A voz era modulada, expressiva, humanizada. A empatia e a cumplicidade foram crescendo. Dava-me a triste notícia de que o telemóvel estava desligado mas, ao mesmo tempo, dava-me esperança, uma opção, uma saída airosa que só dependia de mim. Nunca mais me esqueço do “se quiseres, deixa uma mensagem a seguir ao sinal ou carrega na tecla 1”. O voice mail respeitava o meu espaço e não era possessivo. Se me sinto feliz ao pé dele, é normal querer apostar nisto mais a sério”, afirmou o indivíduo.