24 de janeiro de 2010

Especialistas em bill tracking analisaram destino das notas e concordam que o Estado tem excessivo peso na economia

O Eurobilltracker.com, projecto internacional dedicado a seguir o rasto de notas de euro em todo o mundo, denuncia alguns factos sobre as debilidades da economia portuguesa. Segundo os dados, 70% dos números de série de notas registadas na base de dados acabam sempre por ir parar ao Estado. "Uma nota quando entra no Estado não sai mais. Parece a prostituição. As notas rodam mais entre os organismos do Estado que as strippers pelos bares de alterne. Só uma minoria das notas consegue voltar à vida normal, a economia real", adiantou um dos especialistas. De registar que a Eurobilltracker transformou-se numa rede social, permitindo a construção de grupos de interacção e comunidades como a célebre "As minha notas do Imposto Municipal sobre Imóveis foram usadas pela Administração Regional de Saúde do Centro/ Sub-Região de Saúde de Aveiro para comprar um toner para uma impressora no valor de 45 mil euros".