25 de fevereiro de 2007

Série sobre o dia do Regicídio do Rei D. Carlos vai tentar provar que o rei podia ter sobrevivido se os tipos do INEM da altura não fossem republicano

A série apoia-se em documentação da época que só há pouco tempo foi analisada. O INEM optou por desresponsabilizar-se ao emitir um comunicado a explicar que o rei já sofria de um estado de convalescença prévia que foi fatal após o tiro. “O comunicado acusa o rei de não tomar precauções. O rei tinha passado uma temporada de caça, actividade que expõe o corpo, em Vila Viçosa, local de baixas temperaturas. D. Carlos não se agasalhou, foi de comboio de janela aberta até ao Barreiro, zona ventosa. Tomou o vapor D. Luís em direcção ao Terreiro do Paço e depois optou por seguir de carruagem aberta com reduzida escolta. O rei tinha estado a organizar umas papeladas no Parlamento e apanhou um resfriado extra porque toda a gente sabe que, depois de João Franco ter ordenado o fecho da Assembleia, aquilo como deixou de ser ocupado ficou muito mais frio”, afirmou Mário Botequilha.