4 de outubro de 2005

José Peseiro insultado ao chegar a casa

José Peseiro foi insultado quando chegou a casa. Tanto a mulher de Peseiro como a filha perderam a cabeça e não pouparam o chefe de família de duras críticas ao seu trabalho como treinador principal do Sporting. Ainda Peseiro estava a colocar as malas de viagem no quarto, quando a sua esposa começa a dizer: "Vai-te embora ó palhaço. És uma merda de treinador. Não tens mão naquilo, põe-te a andar!
A filha de Peseiro também não poupou o pai. "Mas que estupidez foi aquela de colocar o Polga a defesa-esquerdo? Andas a brincar com isto tudo!! E o Wender? Mete-me o homem a jogar cum catano". A situação piorou quando alguns compadres de Peseiro chegaram a vias de facto enquanto que a filha e a mãe de Peseiro o insultavam e lhe pontapeavam as canelas. Um compadre admitiu que bateu em Peseiro: "eu dei-lhe uma murraça, admito. Aqui o Paiva esvaziou-lhe um pneu do carro, o Castro partiu-lhe o vidro da frente à pedrada, o Madeira espetou-lhe com uma garrafa de Espumoso nos cornos.Garrafa essa comprada no Jumbo de Alcochete numa promoção muito jeitosa. E eu ia ficar quietinho, não? Eu nem sou do Sporting. Aproveitei esta cena para lhe dizer umas quantas que estavam aqui atravessadas. Nunca fui com a cara dele. Nem quando treinava o Nacional da Madeira e punha a equipa a jogar de forma espectacular, eu gostava dele. São coisas entre mim e ele, não interessa. Eu cá tenho as minhas razões. Eu sou muito boa pessoa mas quando "m´as fazem" eu não esqueço. Eu sei que tenho fama de rancoroso e orgulhoso. Mas é assim que eu sou, eu sou como sou. Ele é muito de dar respostas ou comentários desagradáveis e de fazer caras. Comigo não".