26 de janeiro de 2009

Paulo Portas vira à esquerda e quer aumento de reformas e apoios sociais para idosos gay, gays da lavoura e ex-combatentes gay

O presidente do CDS-PP aproveitou o XXIII congresso do partido para anunciar a sua estratégia política, centrada na disputa de eleitorado do PS. Paulo Portas usou os seus argumentos habituais com algumas nuances progressistas inovadoras. “Se eu chegar ao governo, a lavoura gay será beneficiada. Os agricultores gay receberão mais subsídios e compensações pelo abate de árvores. As pensões de miséria dos reformados gay serão iguais ao salário mínimo. Os antigos combatentes gay terão finalmente a compensação monetária que merecem, tal como os pescadores gay. As pequenas e médias empresas gay terão mais apoios, gasolina subsidiada e descida de IRC. Comigo, os gays endividados não terão as contas bancárias penhoradas e nenhum café gay será encerrado pela ASAE”, afirmou Paulo Portas.