14 de janeiro de 2009

Especialistas desaconselham esquizofrénicos a terem twitter porque os leitores que os acompanham são chamados de followers ou seguidores

Segundo alguns especialistas, o Twitter, rede social que permite que os usuários enviem atualizações pessoais em forma de texto para os seus seguidores, poderá agravar os sintomas de pessoas com tendências para a esquizofrenia paranóide, sub-tipo mais comum da doença. “Um esquizofrénico abre uma conta no Twitter. Começa a escrever, começa a ter pessoas que o seguem, que demonstram interesse, interagem, comentam os textos, divulgam os seus textos e solicitam-no para retribuir. Como um esquizofrénico acredita que está a ser perseguido ou vigiado por alguém que tem a intenção de prejudicá-lo, isto não pode dar bom resultado. O facto de todos os textos só poderem ter 140 caracteres piora ainda mais a situação. Para um esquizofrénico, um texto curto é ainda mais enigmático”, afirmou um psiquiatra.