8 de outubro de 2008

Chávez assistiu a concerto de fado e quis comprar 150 Camanés e 45 Mafaldas Arnauths para levar para a Venezuela

Para além dos acordos para a venda de um milhão de computadores Magalhães, Hugo Chávez mostrou-se bastante interessado em desenvolver protocolos na área das indústrias culturais. O líder Venezuelano esteve reunido com alguns agentes de fadistas portugueses e negociou a construção e instalação de fábricas na Venezuela para a produção de 3000 Cristinas Branco, 345 Rodrigos Leão e 150 mil Anas Moura, a mais apreciada por Chávez, num contrato que envolve também formação de pessoal especializado e transferência de tecnologia. Segundo o que o IP apurou, Chávez terá também assinado um contrato com um consórcio português que possui a patente de uma tecnologia de ponta que transforma poluição sonora em energia nuclear. A entrega das primeiras 500 mil Júlias Pinheiros está prevista para o mês de Novembro e cerca de 600 mil Ruis Santos serão integralmente montados numa fábrica em Caracas em 2009.