20 de abril de 2010

Caso Crucifixo Dourado em campeonato de futebol de padres: árbitro foi subornado com “goma de dormir” e “café com Mini Milk”

Acaba de ser divulgado publicamente o Caso Crucifixo Dourado, um escândalo na Igreja Católica que mistura pedofilia e corrupção desportiva no futebol eclesiástico. Segundo as escutas divulgadas no site Passo a Rezar, o padre dirigente da equipa da Paróquia de Nossa Senhora do Amial, Diocese do Porto, fornecia crianças ao Cónego Melo, árbitro de Cedofeita, para beneficiar a sua equipa no jogo contra a Paróquia de Nossa Senhora das Mercês. Segundo o livro “Eu, Pedrito”, relato chocante do ex-companheiro de 9 anos do padre dirigente da Paróquia de Nossa Senhora do Amial, as preferências dos árbitros eram sempre em código. “Um Bongo era uma orgia com 8 crianças. O filme do João Botelho depois irá explicar melhor o significado de Blédina cereais com mel e bolachas sem glúten”, revelou a criança.